O primeiro ano

Padrão

Mal passou a Páscoa e cá estou eu pensando no próximo feriado. Mas este será muito especial: aniversário de um ano do meu sobrinho Guilherme!

 

Não o vejo desde o Ano Novo, mas “falo” com ele praticamente todos os dias. Coloquei entre aspas porque ele não consegue pronunciar palavras ainda, mas já faz muito barulho no telefone. Minha irmã disse que ele já fala “papai”, mas acho que só ela e o “papai” conseguem perceber…

 

Ontem Guilherme deu um susto na minha irmã. Ele engasgou de tal forma que não conseguia engolir a comida e nem respirar. Por alguns segundos, minha irmã disse que ficou desesperada e começou a bater nas costas dele para a comida sair. Ela falou que ele desengasgou rápido, mas se precisasse, ela o viraria de cabeça pra baixo! Quando falei com ela, estava tremendo, coitada.

 

Minha mãe disse que chorava com a gente quando, bebês, engasgávamos com alguma coisa. Fiquei pensando nesse amor tão grande e sublime que é o amor de mãe. Nininha diz que, desde que se tornou mãe, sempre pensa que não pode morrer nunca, por causa do Guilherme. É engraçado ouví-la falar assim porque eu, por exemplo, nunca pensei nisso. Talvez exatamente por nunca ter sido mãe.

 

Quando vejo minha irmã cuidando do Guilherme, doando 24 horas de seu dia para ele, percebo que ela nasceu para ser mãe, assim como todas as mulheres. Nininha nunca teve muito jeito com criança, até tinha medo de segurar os bebês dos outros, mas com Guilherme ela tem um cuidado incrível. Vocês precisam ver como ela dá comida para ele… o bebezinho nem faz bagunça com a comida, de tão cuidadosa que ela é.

 

Tenho orgulho da mãe que a minha irmã se tornou, da mulher forte e interessada que é. Ela e meu cunhado já passaram por muitas dificuldades e tiraram de letra, como se já tivessem sido pai e mãe muitas vezes. Além de uni-los mais, as provações deram a eles uma sabedoria muito grande sobre assuntos complexos e muitas vezes distantes do cotidiano das pessoas.

 

Este primeiro aniversário do Guilherme deve ser muito bem comemorado, porque ele merece mesmo. Sempre falo que o Gui é uma criança muito feliz, e isso dá pra ver nitidamente nas fotos. Seu sorriso (ele sempre está rindo e olhando para a foto), sua saúde de ferro (ele nunca ficou doente), provam o quanto ele é amado e bem cuidado. Parabéns Gui querido!

 

___

 

Esta é a Semana da Saúde aqui no trabalho. Ontem tivemos uma palestra muito boa com o Dr. Drauzio Varella, o médico Ricardo De Marchi e a atriz Patrícia Travassos, com mediação de Sidney Resende.

 

Todos eles abordaram coisas muito importantes, mas me chamou atenção o dr. Drauzio afirmar que fazer exercícios vai contra a natureza humana. E é verdade, o homem não gosta de se exercitar e, segundo ele, o bom do exercício é a sensação que dá quando ele termina. Mas isso não tira a importância do exercício físico em nossa vida, muito pelo contrário; ele é essencial se quisermos prolongar nossa saúde e viver bem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s