Amor de fixação

Padrão

Volto, aos poucos, ao blog abandonado. Deixo vocês com uma poesia de Manuel Alegre, “Amor de fixação”:

 

 

A experiência é madre das coisas e por ela soubemos radicalmente a verdade.

                                        Duarte Pacheco Pereira

 

 

Há um caminho marítimo no meu gostar de ti.

Há um porto por achar no verbo amar

há um demandar um longe que é aqui.

E o meu gostar de ti é este mar.

 

Há um Duarte Pacheco em eu gostar

de ti. Há um saber pela experiência

o que em muitos é só um efabular.

Que de naugrágios é feita esta ciência

 

que é eu gostar de ti como um buscar

as índias que afinal eram aqui.

Ai terras de Aquém-Mar (a-quem-amar)

 

naus a voltar no meu gostar de ti:

levai-me ao velho pinho do meu lar

eu o vi longe e nele me perdi.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s