“Hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás”

Padrão

Linda música de Jorge Drexler, em versão de Paulinho Moska. As canções de Drexler fazem parte da minha vida desde “Al outro lado del río”, trilha do inesquecível “Diários de Motocicleta”. 

Não somos mais que uma gota de luz
Uma estrela que cai, uma fagulha tão só
Na idade do céu.

Não somos o que queríamos ser
Somos um breve pulsar em um silêncio antigo
Com a idade do céu.

Calma
Tudo está em calma
Deixe que o beijo dure, deixe que o tempo cure
Deixe que a alma tenha a mesma idade
Que a idade do céu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s