Arquivo mensal: março 2009

O autor e o compositor

Padrão

livro-chico1Depois de “Budapeste”, um dos livros mais lindos que já li, está na hora de comprar o “Leite Derramado”. Sou totalmente parcial ao falar do autor e ouso dizer que ele é um dos melhores, não só na música (e já bastaria, né?), como também na Literatura.

 

Chico Buarque conta, num dos DVDs de sua coleção, que quando está escrevendo um livro nem pensa em música. É como se seu cérebro fosse separado: ora age o compositor, ora o autor.

 

Eu achei isso tão fascinante porque são dois processos completamente diferentes… e ele ainda disse que é como se os lados tivessem vida própria: ele sente quando está na hora de parar de compor e começar a escrever; e vice-versa.

 

Por todos esses motivos e pelo simples fato de amar tudo o que ele faz, está mais do que na hora de comprar “Leite Derramado”. E olhem o luxo: o próprio Chico leu um capítulo inteiro do livro pra gente! Confira aqui.

Eu hoje…

Padrão

                                                                                Foto: Paula Machado

cimg12433

 

Inspirada num post do Bibidebicicleta, eu hoje:

 

– Reprogramei o despertador duas vezes, por não querer acordar tão cedo

– Tomei café-da-manhã preparado pelo marido

– Amo

– Peguei trânsito

– Dormi no ônibus e fui acordada com o celular tocando

– Cantarolei no caminho do trabalho

– Revi a amiga que voltou de uma viagem alucinante à Cuba

– Aprendi sobre Cuba

– Argumentei sobre o porquê do meu desprezo aos EUA

– Comi o mesmo prato de sempre daquele restaurante

– Abracei um amigo querido que não via há muito tempo

– Escrevi

– Dei conselhos

– Recebi conselhos

– Falei ao telefone e me diverti

– Pesquisei sobre meu próximo destino de viagem: Campos do Jordão

– Trabalhei

– Falei com minha mãe e com minhas irmãs

– Senti saudade das três

– Marquei de sair com a amiga que está indo embora

– Recebi e-mails de amigas que estão morando longe, mas que são tão importantes na minha vida…

– Senti saudade delas

– Recebi elogios

– Fiz críticas a mim mesma

– Fiquei triste ao ler as notícias do dia

– Tive vontade de ir embora pra casa mais cedo

– Arrumei a casa

– Preparei a comida

– Orei

– Dormi

– Tive um dia feliz!

Sutilmente

Padrão

dsc008101Amo música e tudo o que a envolve. Mas não gosto de qualquer música, sou extremamente fiel ao meu bom gosto. Que, por ser meu, tem que ser bom, suponho eu. No entanto, uma música que pra mim é qualquer pode ser A música para outra pessoa. E esse alguém pode também ter bom gosto, por que não?

 

Admiro quem compõe música. E quem se reinventa, apesar de anos de estrada. Os meninos do Skank sabem o que é isso e fizeram uma canção linda por completo. Samuel Rosa e Nando Reis sabem mexer as palavras com exatidão.

 

E eu, de graça, faço essa propaganda descarada. Vale a pena ouvir boa poesia, muito bem cantada.

 

Sutilmente

 

E quando eu estiver triste

Simplesmente me abrace
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce

Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti

Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti

Um lindo lugar

Padrão

Só as férias mesmo pra me tirarem do blog. Mas prometi que iria ficar longe da internet pelo menos durante a viagem. Destino: Maceió (AL).

 

Fiquei encantada com a beleza da cidade. Minha irmã já tinha me dito que era a capital do Nordeste mais linda na opinião dela, e deve ser mesmo. Apesar de não conhecer todas, a orla de Maceió, com aqueles coqueiros e aquela água azul clarinha é simplesmente fascinante.

 

Mas o melhor da viagem é mesmo descansar. Esquecer o relógio, o calendário, a calça jeans, as contas… E só lembrar do protetor solar, no máximo.

 

Uma pena que o estado de Alagoas esteja sempre no noticiário nacional quando o assunto é corrupção. Não se fala em outra coisa por lá: pelo que li nos jornais, a Assembléia Legislativa é uma bagunça só. Consegue ser pior que Brasília!

 

Talvez por isso Maceió seja uma cidade de contrastes, assim como acontece em tantas cidades do Brasil. De um lado, prédios chiquérrimos e carrões. De outro, pobreza sem fim, casas construídas na beira da estrada, pessoas trabalhando muito e ganhando quase nada.

 

Nosso país é tão rico em belezas naturais que é inacreditável a condição da população de cidades como Maceió. Só roubando muito pra não deixar a riqueza chegar aos mais pobres. Alagoas é o segundo menor estado do Brasil e vive praticamente do turismo. As praias estavam lotadas, o hotel também, e isso em baixa temporada.

 

Parece ironia constatar que o Nordeste, uma das regiões mais lindas do país, seja também uma das mais pobres. Prefiro ficar então com a imagem abaixo, da orla de Maceió. Fico com aquele vento gostoso de todo fim de tarde e com a alegria de uma cidade sempre ensolarada.

 

dsc02548