É hora de rever a estratégia

Padrão

computadorAconteceu no Carnaval, mas lembrei desse episódio ontem e comecei a rir sozinha. Vale muito a pena registrar aqui no blog.

Acampamento de adolescentes, jogo: Imagem e Ação. Em determinado momento, o menino de aproximadamente 17 anos desenha dois computadores, uma linha ligando um ao outro, e os bonequinhos do MSN. Começamos a chutar a resposta: “chat, MSN, bate-papo”… e nada.

Quando a ampulheta terminou, ele falou qual era a palavra: Comunicar. Isso mesmo meu povo, para essa geração que está com a corda toda, a forma mais óbvia de comunicação é pelo computador.

Esse fato dá um estudo sociológico e tenho certeza de que alguns intelectuais ficariam de cabelo em pé. Mas vejo um lado bom nisso tudo: já passou da hora de investir pesado na comunicação digital. As grandes empresas sacaram isso e estão dedicando cada vez mais tempo e dinheiro às ações na web. Eu, por exemplo, trabalho no núcleo de Comunicação Digital de uma empresa e posso garantir que o trabalho só aumenta. Cada vez mais somos vistos como setor estratégico dentro da Comunicação Institucional.

Se as empresas já descobriram a internet e nela colocam seus valores, visões e missões, por que não investir na transmissão via web de valores que realmente importam? É claro que a internet está cheia de lixo e pornografia, mas muito se deve ao vácuo de informação atraente, principalmente para os adolescentes.

adolescentesOs jogos estão cada vez mais violentos, mas eles são os mais legais mesmo. Não existem jogos que transmitem valores corretos e que sejam emocionantes ao mesmo tempo. Parecem coisas excludentes e não são! Por que não se consegue despertar a adrenalina de que os teens tanto gostam com coisas que realmente valem a pena? Por que deixá-los à mercê do que de pior existe no mundo virtual?

E não falo de promoções. De participar de algo interessante para ganhar outra coisa em troca. Falo de entretenimento, de diversão sadia. De valores cristãos, por que não? As igrejas estão paradas no tempo! Os adolescentes não se interessam por seminários, por boletins informativos. Eles estão na internet, seja no PC, no celular ou no Iphone. E muita gente que não devia já chegou até eles. Quando é que nós vamos chegar?

Anúncios

»

  1. Os acadêmicos transformariam este episódio em uma tese. E me vem um aluno no ano passado dizer que não sabia o que pensar sobre mídia social, messenger etc., porque enquanto eu me empolgava no assunto um outro professor (de sociologia) dizia que Orkut era coisa de gente carente. Ahhh!?

    A plataforma de comunicação é outra. Isso é fato. Não adianta achar um absurdo o menino não sair do computador e do video game e querer que ele troque todo aquele apelo multimídia por um livrão bem grosso, com letras miúdinhas. Só tem um jeito de chegar nesta galera: indo até ela.

    Eu assino embaixo. Tem que rever as estratégias. E acho também que a bola tá conosco. Nós somos a igreja. Por onde vamos começar?

    Bj

    • Pois é, Vi, não entendo essa relação maniqueísta com a web. Ela não é tão boa nem tão ruim quanto parece. O próprio presidente da Google no Brasil disse esses dias pros adolescentes desligarem o computador e “viverem”. Ele considera super importante as relações de carne e osso e a gente sabe que são mesmo, né? Mas não é por isso que o Google vai deixar de ter a enorme importância que tem. Bjo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s