Sobre não saber

Padrão

Que orgulho escrever sem saber o
que seja a língua, verbo, nem conceber
a estrutura da duração da obra,
nem as condições de seu fim.
Nada de porque!
Nada de como! Para os surrealistas,
perfeição é preguiça.
(André Breton)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s