RIP Galeano

Padrão

Há poucos dias publiquei aqui um lindo poema de Eduardo Galeano e na mesma semana ele se foi. Mas nunca irão morrer suas obras, seus pensamentos de esquerda, sedentos por igualdade, com uma lupa precisa para os que mais sofrem. 

Descanse em paz, Galeano. Por aqui, continuaremos a lutar.

“Na luta do bem contra o mal, é sempre o povo que morre”.

“Não consigo dormir.
Tenho uma mulher atravessada entre minhas pálpebras.
Se pudesse, diria a ela que fosse embora;
mas tenho uma mulher atravessada na garganta.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s