Arquivo do autor:Lívia de Souza Vieira

Antes que seja tarde

Padrão

Não precisa concordar comigo
Eu gosto de um embate
Mas precisa olhar pro outro com compaixão
Antes que seja tarde.

Não precisa gostar de Chico
Eu gosto de Pearl Jam
Mas precisa olhar pra música sem preconceito
Antes que seja tarde.

Não precisa ler poesia
Eu gosto de racionalidade
Mas precisa saber o valor de um verso
Antes que seja tarde.

Não precisa ser de esquerda
Eu gosto de contraponto
Mas precisa querer um mundo justo
Antes que seja tarde.

Não precisa ser feminista
Eu às vezes discordo delas
Mas precisa ver a mulher como igual
Antes que seja tarde.

Os opostos (nem) sempre se atraem.

Anúncios

A song as a gift

Padrão

Crazy how it feels tonight
Crazy how you make it all alright, love
Crush me with those things you do
And I´ll do for you anything too, oh

Sitting, smoking, feeling high

And in this moment
Oh, it feels so right

Lovely lady, I am at your feet
Oh, God, I want you so badly
And I wonder this
Could tomorrow be so wonderous
As you there, sleeping?

Let’s go drive ‘till morning comes
Watch the sunrise and fill our souls up
And drink some wine ‘till we get drunk
Yeah

It’s crazy I’m thinking
Just knowing that the world is round
And here I’m dancing on the ground
Am I right-side-up or upside-down?
And is this real, or am I dreaming?

Lovely lady, let me drink you, please
Won’t spill a drop, no, I promise you
Lying under this spell you cast on me
Each moment the more I love you

Crush me, come on
Oh, yeah

So much you have given, love
That I would give you back again and again
Oh, you know that I´m meaning I’ll hold you
But please, please just let me always.

Toda morte dói

Padrão

Eu te dei meu tempo, minha atenção, meus pensamentos
Minhas lágrimas, meus sorrisos, meus sonhos, meu coração
E de nada disso me arrependo.

Você teve meus momentos mais intensos
Foi inspiração pra dezenas de poesias (que nunca lerá)
Foi idealização jamais realizada.

Toda morte dói e essa não dói menos
Mas a frieza da sua reação só me dá mais certeza
De que essa morte, tão esperada, é bem vinda.

Há muita vida lá fora.